85º dia - Boring

Já faz uma semana que ele está aqui comigo, o tempo está a passar demasiado rápido para o meu gosto. A chuva não ajuda nos passeios, o moço trouxe 2 ou 3 calções de banho só para ocupar espaço na mala. Temos almoçado e jantado fora quase todos os dias e na verdade compensa. A maioria dos restaurantes têm buffet a peso. Estes dois pratos aqui em baixo, sabem quanto foram? 4€ cada um. Basicamente aqui no Brasil o que é considerado necessidade básica humana é barato, o que for indispensável à vida é caro, como por exemplo: electrodomésticos, video-games, roupa da Zara, esteticistas, etc. Aqui no Brasil a presidente Dilma não é muito adorada... pelos ricos. Porquê? Porque ela utiliza uma estratégia de equilíbrio, tenta que os ricos não sejam tão ricos e que os pobres deixem de ser pobres, dando-lhes direitos que os ricos não têm, por exemplo. Em Portugal eu vejo exatamente o contrário. Ricos a ficarem cada vez mais ricos e com mais direitos, e os pobres cada vez mais pobres e com menos direitos. Ainda tenho esperanças, ainda.
Aqui no Brasil tudo o que envolve o sistema público é gratuito. Universidade pública? Gratuita. Hospital público? Totalmente gratuito. Aí em Portugal quando fui parar às urgências tive de pagar todos os gastos. Não sou ninguém para comentar estes assuntos, política não é comigo nem nunca será.
Eu orgulho-me de ser portuguesa, vejo o encanto nos olhos dos brasileiros quando refiro a minha nacionalidade, mas o meu país desilude-me cada vez mais. Faz-me perder a vontade de continuar a criar memórias dentro dele.