9º dia - Feedback da 1ª festa universitária no Brasil

Ontem de manhã tive a reunião de intercambistas no auditório da universidade. Somos perto de 100 estudantes de todo o mundo aqui em Floripa a fazer intercâmbio. Em maioria estão os portugueses, seguido dos alemães, espanhóis, ingleses, italianos, franceses, norte americanos, canadenses, angolanos, mexicanos, argentinos, chilenos, holandeses, suíços, noruegueses, dinamarqueses, bolivianos, belgas, paraguaios, uruguaios, colombianos, equatorianos, austríacos e acho que está tudo. 
Os professores começaram o discurso de forma emocionante fazendo-nos orgulhar do facto de termos conseguido o lugar na UFSC, felicitaram-nos pela conquista e falaram nas dificuldades que poderiam surgir como a "saudade"... foi bonito e não me vou esquecer (salva de palmas).
Tirei a tarde para tratar das burocracias e papelada necessária para a polícia federal, andei de um lado para o outro na ilha desejando chegar à cama. Acontece que, quando finalmente cheguei à cama, um intercambista publicou no nosso grupo de facebook que havia festa na casa X dele na rua Y. Ta bom. Cheguei à festa cheia de gente e só conheci o inquilino no final, já não foi mau, houve quem ali entrasse, bebesse e saísse sem saber de quem era a casa. 
Após a festinha fomos para a festa que havia no campus da universidade e que haverá todos os dias da semana. Foi quaaaaaaaase parecido às festas das universidades portuguesas tirando o facto de andar tudo ao molho aos beijos. Sim. Do género, olhei para a direita e estavam três línguas aos beijos, olhei para a esquerda mais umas três, do nada param e trocam de trio, a isto juntam-se mais umas dez pessoas com mãos dentro de calças e debaixo de saias. Eu olhei de boca aberta sim, fixamente, e não disfarcei. Disse "isto parece uma américa!", ao qual um responde "amiga acorda, estás na américa..." então aí eu percebi. Sim, isto aqui é como nos filmes. Quem gosta que venha, quem não gosta que faça como eu, pede uma bebida e uma espetada de carne. De resto, vários estudantes levaram os carros para dentro do campus e colocaram música, havia as tais barraquinhas típicas e tudo muito barato, a entrada não se paga. Eu não gostei muito do ambiente, muita bebedeira e muita gente sem noção.  Ou estou já sem espírito universitário ou não sei. Ainda não conheço muito pessoal e festa só é festa com bons amigos por perto. (Amiguinhos do meu coração, senti muito a vossa falta!)