30º dia - Santo António de Lisboa

Hoje fui com elas visitar Santo António de Lisboa, que fica no norte da ilha de Floripa. De facto este cantinho tem ares de Portugal e quase me senti em casa. Fui até à igreja e rezei por cada cidadão deste mundo, agradeci esta experiência e toda a protecção que Ele me tem dado, por último pedi-Lhe paz, que terminasse com toda a guerra atual no mundo. Fico angustiada só de ver as notícias e imaginar. Agradeço por nunca me ter faltado nada, por ter nascido em Portugal e ser tão feliz. Eu um dia ainda vou fazer a diferença no mundo, se não conseguir ao menos farei a diferença no mundo de alguém.
A viagem de volta para casa foi um pouco atribulada. Primeiro porque não sabíamos qual o ônibus mais direto e perto, acabámos por apanhar um que iria até ao terminal da trindade e aí teríamos de mudar de ônibus. Para além do ônibus andar a uma velocidade de 120 km/h em curvas, conseguimos apanhar o ônibus errado no terminal. O ônibus praticamente levou-nos ao ponto de partida. Tivemos que mudar de ônibus num outro terminal para irmos até ao terminal certo e apanhar o ônibus que nos deixava em casa. O que era para ser uma viagem de meia hora tornou-se numa viagem de quase 2 horas.
Por opção do destino, nesse ônibus onde nos enganámos estava um americano, um brasileiro e um uruguaio também perdidos. O melhor sotaque que já ouvi foi mesmo o de um americano a falar português, lindo! Foram quase 2 horas de conversas e muiiiitas gargalhadas, fizemos a festa no ônibus. Por aqui é assim que se fazem amizades improváveis.