18º dia - Homo(sexualidade)

Gostei particularmente deste dia. Como dormi na Lagoa, passei o domingo a passear com uma amiga, sentámo-nos à sombra na beira da Lagoa, fotografámos e conversámos por horas.
Aproveito o post para falar de um assunto incomodativo para uns, agradável de ler para outros. Sabem quantos casais homossexuais já vi por aqui? Eu também não, mas foram alguns, mais do que vi na minha vida toda. Casais de dois rapazes a passear de mãos dadas, visivelmente apaixonados. Sim, eu olho e observo, não por me fazer "confusão" mas sim por admiração. Invejo-os por isso, também queria ter o meu aqui. Admiro-os por ignorarem a sociedade retardada. Admiro-os por colocarem a felicidade em primeiro e a opinião dos outros em último. Admiro-os pela simplicidade e pela forma como ignoram o padrão da normalidade. Não os considero corajosos, para assumir e ser feliz não é preciso coragem, sim personalidade.
Não sou ninguém para debater este assunto mas tenho liberdade para dar a minha opinião. A homossexualidade não deve ser vista como uma doença, mas sim como uma possibilidade de desenvolvimento na esfera sexual. Vem um retardado sem argumentos e diz "Deus fez o homem e a mulher para alguma coisa (...) é o normal", eu sou católica mas tenho consciência tá bom? Deus também disse para nos amarmos e respeitarmo-nos uns aos outros. Mas afinal de contas o que é "normal"? Normal é tudo aquilo que é aceite enquanto padrão de comportamento pela maioria da sociedade. E se ser normal é isso, o comportamento narcísico é o mais normal que existe, pois vivemos em uma sociedade narcisista. Certo ou errado? Mas confessemos, já existe avanços neste sentido, pois tendo em mente o passado onde as pessoas eram presas e violentadas publicamente só por serem homossexuais, hoje já há homossexuais em cargos políticos, médicos, professores, atores, religiosos, empresários, etc. O homossexual é muito mais que uma mera prática sexual, pois quando se levanta pela manhã ele é um ser humano e cidadão com posturas, ideais e valores como outra pessoa qualquer. Quanto à adoção de crianças por casais homossexuais sou completamente a favor (não me encham a caixa de comentários com discussões ok?). "Ah mas as crianças vão crescer e vão ser como eles (...) não vão ser bem educadas, o correto é terem um pai e uma mãe, bec bec bec", esta conversa da treta chateia-me muito. A homossexualidade não se pega, não é uma doença. A criança irá crescer e tomar a sua orientação sexual e podem ter a certeza que se for realmente homossexual não será posta fora de casa pelos pais adotivos. Como é que um casal homossexual tem menos capacidades de educar uma criança quando a própria criança foi abandonada por um casal heterossexual? ;) 

Menos preconceito e mais respeito, por favor. Até o grandioso Papa Francisco o diz "se uma pessoa é homossexual e procura Deus e a boa vontade divina, quem sou eu para julgá-la? Os homossexuais não devem ser marginalizados, devem ser integrados na sociedade". Adorei saber que o Papa Francisco afastou um cardeal por ser contra direitos dos homossexuais. Amém.