"Não queremos ser médicos"

Um excelente excerto de um comentário que vi num grupo do facebook:

"Esclarecer a comunicação social e a população em geral que somos enfermeiros, estudamos e trabalhamos arduamente para o conseguirmos ser; que somos académica e profissionalmente diferenciados, mas principalmente que as nossas mentes estão esclarecidas e não queremos ser médicos, nem invadir territórios que não são os nossos. Queremos ter um horário semanal de trabalho que seja seguro para o utentes e para nós; queremos ser remunerados de acordo com a nossa formação, responsabilidade e risco profissional; queremos que se perceba que não nos sentimos diminuídos por dar banhos, pôr e tirar arrastadeiras e mudar fraldas, isto é também e muito do cuidar."

Se já pensei no curso de medicina? Sim já. Se me arrependo de pensar em tal coisa? Muito. Se tivesse oportunidade trocava de área? Jamais! Desde que comecei a estagiar na área da enfermagem que percebi realmente o que distingue estas duas áreas (e não, nunca nenhum médico mandou em mim), admiro o trabalho de (alguns) médicos mas orgulho-me mais do trabalho do enfermeiro. Dentro de alguns meses irei partir para uma aventura fora do país onde a enfermagem é dividida em vários graus (acho que se pode dizer assim), vou ter uma visão da enfermagem diferente desta que se vive em Portugal. Melhor ou pior? Depois vos digo, de uma coisa tenho a certeza, vou aprender imenso!