12 junho 2015

102° dia - White Tattoo

Algumas semanas atrás fiz a minha primeira tatuagem aqui no Brasil. Não disse a ninguém, marquei e fui fazê-la sozinha. Sempre quis fazer uma mas nunca me precipitei pelo medo de me arrepender futuramente. A tatuagem que fiz já a tinha em mente desde os 18 anos talvez. Deixei esperar a melhor altura para a fazer e ter a certeza que era mesmo o que queria. Quando cheguei ao Brasil percebi que era a altura ideal. 
Fiz um electrocardiograma no hospital e tatuei o meu batimento cardíaco. Não é um batimento cardíaco qualquer, é o meu, o tal que me mantém viva. Decidi fazer a tatuagem com tinta branca e não com preta por ser diferente e discreta, é uma tatuagem para mim, não para mostrar.
É uma tatuagem com dois significados:
1º- Realizar este intercâmbio foi a melhor experiência que já vivi até hoje. Cresci pessoal e profissionalmente. Aprendi a valorizar pequenos pormenores. Considero-me uma pessoa mais tranquila e menos stressada. Tudo o que me irritava passei a admirar. Percebi que enquanto o meu coração bater eu posso ser, ter e fazer tudo o que eu quiser. Deixei de adiar ou desmarcar planos. Se quero ir à China? Então eu junto dinheiro e vou. Se quero fazer voluntariado em países necessitados? Então eu trato da burocracia e vou. Temos que deixar de dar desculpas e colocar obstáculos inexistentes à frente de sonhos, antes que seja tarde demais. Por esse mesmo motivo, tatuei o meu batimento. Enquanto ele bater significa que eu posso ser, ter e fazer o que eu quiser, repito. Dou mais valor à vida mesmo com pedras no caminho, não compreendo quem deseja por termo à mesma. Muitas pessoas que já partiram davam tudo para estar no nosso lugar para realizar sonhos que ficaram por concretizar.
2º- Esta tatuagem é também uma forma de honrar os meus 4 anos de curso e a minha nova etapa como enfermeira. As crianças sonham em ser princesas, eu sonhava ser enfermeira.


Agora já percebo quando me diziam que tatuagem vicia. Vicia mesmo e já tenho outra pensada, será uma tatuagem que representará de alguma forma o meu problema auditivo.
Todas as tatuagens que farei serão tatuagens pequenas, discretas e únicas. Serão escritas/desenhadas por mim. Ninguém no mundo terá igual e isso para mim é importante. Originalidade acima de tudo. Não se precipitem a tatuar símbolos ou frases que encontraram na internet ou só porque viram noutra pessoa. Juízo.
Filmei o momento e não poderia estar mais satisfeita. Não estava nervosa mas sim ansiosa, nem me lembrei que fazer uma tatuagem poderia doer, no momento em que vi a agulha é que imaginei a dor. Não vou mentir, no início senti uma dorzinha como pequenos beliscos mas depois já sabia bem, dava-me calafrios e não parava de rir. Avaliei vários estúdios e preferi o Pachamama Floripa Shop Tattoo & Piercing que fica na Lagoa da Conceição, em Florianópolis. Um obrigado gigante a toda a equipa/família que se prontificou a ajudar-me, profissionalismo excepcional. Voltarei para me despedir e tirar uma fotografia para recordação.

Estava a pensar contar aos meus pais acerca da tatuagem só quando chegasse a Portugal mas pensei melhor e pelo skype eles não tinham como me bater. Filmei a reacção da minha mãe quando lhe contei, podia ter sido pior! Ora vejam lá.



Sem comentários:

Enviar um comentário