23 abril 2015

51º dia - Azarada

Gente, imaginem-me vestida com o uniforme branco de enfermagem, a sair do hospital em direcção a casa, exausta após 12 horas de estágio, de noite e a chover torrencialmente. Guarda-chuva com dois arames partidos (era o mesmo que estar sem ele), pés encharcados, consegui acertar em todas as poças que surgiam no caminho, cada nome que chamava a São Pedro mais água ele mandava cá para baixo, até que perdi as estribeiras e mentalmente lhe chamei um nome muiiito feio... agora adivinhem. Não, não choveu mais forte porque era impossível! Passou um maldito carro a alta velocidade mesmo em cima de uma poça que por acaso eu estava a passar bem juntinho... estão a imaginar o resultado? O uniforme deixou de ser branco. Parei, inspirei, expirei, limpei a cara, coloquei o guarda-chuva no lixo e... que se lixe São Pedro, eu sou linda de qualquer maneira. Fui a desfilar até casa como uma Miss T'shirt Molhada, nem tive que esperar pelo sinal verde para atravessar a passadeira, eu própria parei o trânsito, hunf! Há que tirar proveito dos azares.

PS: sobrevivi a uma provável gripe.

Para terem uma noção, foi mais ou menos isto.

Sem comentários:

Enviar um comentário