28 fevereiro 2015

2° dia - Quero uma casa!!

Hoje tirámos o dia para procurar casa em volta da Universidade Federal embora todos os estudantes estejam situados na Lagoa, o problema é que fica a meia hora da Universidade. Um professor ofereceu-se para ser o nosso guia turístico e motorista o dia inteiro!! Devemos-lhe um grande obrigado!!! Não conseguimos arranjar casa para os 3, ou é longe, ou está em ruínas, ou é cara. Está muito difícil! Amanhã vamos procurar aqui na zona da Lagoa, embora seja longe e tenha que acordar todos os dias às 5h30 da manhã, é a zona dos intercambistas e aqui ficamos todos juntos.

Cada vez me apaixono mais pela população! São tão amigáveis, calorosos e bem dispostos! Ah e um pormenor importante, ainda não vi ninguém a fumar e há pouco tabaco à venda, aqui em primeiro lugar está a saúde! Para além disso preservam muito a natureza! Isto é a minha cara! Estou cada vez mais rendida! A única coisa que me está a stressar é o facto de não encontrar a casa ideal... confesso que nesse aspecto sou muito exigente.
Estou exausta, amanhã teremos mais um dia de buscas. Está tudo bem!
Até amanhã!

27 fevereiro 2015

1° dia - Florianópolis

Cheguei a Floripa de casaco de cabedal e botas de inverno, assim que saí do avião comecei automaticamente a suar por todos os poros, 25°C a chover e um calor abrasador, nem em Portugal com 40°C está este calor. O meu study buddy lá estava à minha espera. Levou-me até à melhor zona da ilha, a Lagoa, onde estão os jovens e intercambistas, vidros abertos e musica alta. Mesmo como nos filmes sim. Fiquei encantada com tudo o que via, as casas, as paisagens, as pessoas.. tive logo a certeza que nasci no país errado. Pormenores interessantes que adorei: as pessoas conduzem descalças, andam sem blusa, está sempre a dar musica na rua, anda tudo na descontra, aqui fala-se com um beijo e um abraço, sorriem por tudo e por nada e não sabem o que é o suicídio. Deviamos pegar em Portugal e encaixa-lo aqui, haveria melhorias de certeza. Impossível alguém nao gostar disto. 
Depois o meu study buddy levou-me a uma das mais belas praias, a praia da Joaquina, dizia ele q a agua estava gelada, mergulhei os pés.. gelada??? Assim a do Algarve está o quê?? Após isso deixou-me no meu hostel onde ficarei por 3 noites até encontrar casa. 
Tenho um colega de quarto de São Paulo que veio de férias sozinho, vejam o espírito! Fomos jantar e ter com uma portuguesa. Andavamos a passear quando começou a chover torrencialmente, corri para me abrigar mas as pessoas continuavam na descontra à chuva... ok! Quando voltei para o hostel conheci os dois portugueses do Porto com quem já tinha falado e combinado ir procurar casa. 
A noite passou bem e agora vamos tomar o pequeno almoço e procurar casa, embora nos tenham convidado para irmos conhecer as praias do sul numa van... fica para domingo! Aqui já vou aprendendo umas expressões. Já esqueci o "autocarro" pois é ónibus, "comboio" é trem, "casa de banho" é banheiro, dizes "bué" e riem-se da tua cara. Palavras que são iguais mas que nao entendem.. se falares no sotaque deles já percebem, por exemplo "basquet" não entendem mas se disser "basketch" já percebem. Ok!! 
Até logo!

26 fevereiro 2015

1° dia - São Paulo

Pessoal, já desci dos céus e estou viva! Estou neste momento em São Paulo à espera do próximo voo. 
A despedida foi horrível em todas as letras, queria só o meu pai no aeroporto e acabei por ter a minha mãe, o André, uns amigos e a minha melhor amiga. Construí um lago no aeroporto de Lisboa, vão lá ver...
A viagem durou 10 horas mas dormi 8. A TAP subiu pontos na minha consideração, foi tudo 5 estrelas, muita simpatia e sempre ao dispor, jantar e pequeno-almoço óptimos! Quanto ao entretenimento tive direito aos últimos filmes lançados, jogos, musica, tv, séries, etc. No momento da descolagem estava muito nervosa, sozinha no meio de desconhecidos pronta (ou não) para embarcar na maior aventura da minha vida. Olhava para a direita e ja estavam três personagens ferradas, olhava para a esquerda e o senhor do bigode já ressonava. Como era possível? E eu ali no meio, completamente taquicardica! Chegou a um ponto que nem eu própria sabia quem era, tive de ir à casa de banho olhar-me ao espelho e encarar a realidade "Verónica, és tu sim, pára de chorar, deixa de ser maricas e vai-te sentar! São só uns meses, o avião não vai cair, não te vais perder e vais gostar!".
Só para chorar mais um bocadinho, pude finalmente ler a carta que o André me escreveu e cheguei mesmo a pedir lenços de papel à hospedeira porque os meus já se tinham esgotado.
O dia vai a meio, ainda me falta um voo de uma hora. Até agora estou a gostar, a senhora do café pelo menos foi simpática "Que deseja meu amor?" É normal por aqui? 
Ah e preciso de tomar um duche, está um calor insuportável (que chatice).
Até logo!


24 fevereiro 2015

Está quase, Brasil.

Está quase, é já amanhã que começa a aventura. Foi há quase um ano que saíram os resultados e vi o meu nome na lista, o que não esperava era que um ano passasse tão rápido. As malas estão feitas há 3 dias. Há 3 noites que não consigo dormir. Passo o dia inteiro a olhar para as malas na esperança de caber lá alguém que possa levar comigo. Vou sozinha. Não me imagino a viajar sozinha quanto mais despejada num continente sem saber para onde ir. Cheguei a ter um pesadelo onde obrigava o piloto a voltar para trás porque me tinha esquecido de cotonetes!! A sério. Tão depressa choro porque a porcaria do secador não me cabe na mala, como depois sorrio e penso que vou viver uma experiência nova, depois volto a chorar quando analiso a probabilidade de ser assaltada e raptada assim que pisar o país deles, depois volto a sorrir quando penso que isso é uma barbaridade, vou ver as notícias de Florianópolis e leio que uma mulher foi baleada 9 vezes do nada na rua... entro num pranto. Depois paro e penso "que catano, tantas pessoas que concorreram e queriam estar no meu lugar, talvez desista e dê o lugar a uma delas"... estou a gozar. Penso sim na sorte que tenho, que vou adorar e que não vou querer voltar, no entanto, vou com baixas expectativas, não me quero desiludir. Já fiz umas amigas virtualmente, acho que nos vamos dar bem. Tenho também um padrinho que me irá buscar ao aeroporto mas tenho a sensação que ele vai-se esquecer de mim ou irá escrever mal o meu nome no cartaz e eu não o vou encontrar, nunca. 
A ilha tem exactamente 42 praias, e eu irei visitar as 42 praias, que fique aqui bem escrito a negrito e a sublinhado. Roam-se de inveja façam o que quiserem, não me interessa. Agora vou tentar despedir-me de uns sapatos para ver se a porcaria do secador cabe na mala. 
A partir de agora vou tentar escrever todos os dias, será uma espécie de diário. Boa semana!



15 fevereiro 2015

Valentine's Day

Não percebo o desprezo de algumas pessoas a este dia. Sim, o dia dos namorados deveria ser os 365 dias do ano, ok, está bem, ridículo. Uma mãe também é mãe os 365 dias do ano e também há um dia dedicado para ela. O que é certo é que as pessoas que desprezam este dia estão solteiras, é compreensível.
Eu cá gosto do dia de São Valentim e celebro-o de coração cheio. Desta vez não preparei nenhuma surpresa lamechas mas sim uma daquelas impossíveis de recusar. Simplesmente comprei o vinho preferido dele e aluguei um quarto na Quinta de São Jorge, através do booking. Ele levou-me a jantar, fomos sair e a meio da noite fui deixá-lo a "casa". O caminho foi "doloroso", pois quando ele se apercebeu que ia na direcção errada começou logo a franzir as sobrancelhas e a mandar vir. Claro que quando lá chegámos não sabia se havia de me bater ou de beijar. 
O quarto era rústico e super acolhedor, tinha uma vista linda para os campos alentejanos. A minha parte preferida foi quando me deitei e reparei que a cama tinha aquecimento!! Acho que nunca dormi tão bem em toda a minha vida! Os senhorios foram incríveis e deram-nos a escolher a hora que gostaríamos de tomar o pequeno-almoço! 
Adoro proporcionar-lhe momentos destes pois sei que ficarão para a vida, independentemente do que aconteça. Que venham mais dias de São Valentim como estes!











Penúltima etapa, check!

Terminei na quinta-feira passada o penúltimo estágio do curso, que foi realizado no âmbito da saúde comunitária (Centro de Saúde). Não poderia estar mais feliz e satisfeita com todo o trabalho que desenvolvi, com tudo o que aprendi e, principalmente, pelas amizades que fiz. Tive a honra de trabalhar com uma equipa excelente! Eu e a minha enfermeira tutora para além da relação profissional criámos naturalmente uma relação de amizade, apoiámo-nos uma à outra nas maiores adversidades e nunca houve qualquer desentendimento. Foi o estágio mais longo e aquele que passou mais rápido, quando gostamos daquilo que fazemos o tempo passa a correr! Tenho um gostinho especial pela área da saúde comunitária mas no topo está sem dúvida a emergência.
Já tinha refletido sobre o facto de estar no 4º ano e me sentir ainda muito insegura para começar a trabalhar sem qualquer supervisão. Parece que terminei o secundário há dias e daqui a uns meses já irei entrar no mercado de trabalho... é um choque. A enfermeira conseguiu tranquilizar-me no derradeiro último turno "Na minha opinião estás pronta para começar a trabalhar (...)" e o resto guardo para mim com a lágrima no canto do olho. (E sim, chorei na despedida, e no caminho todo de volta a casa também.)
Já tenho saudades, aliás, ainda à pouco ia programar o despertador para as 7h30 para ir para o local de estágio. Nunca me considerei uma mulher de rotinas, sempre que possível quebro-as, rapidamente me farto. Neste caso estava a gostar do sabor da rotina, sair de casa à mesma hora, ouvir as barbaridades do Rui Unas no Café da Manhã da RFM, cruzar-me sempre naquela estrada com dois Renaults Clio (o vermelho primeiro, depois o branco), passar pela Granja e encontrar aquele senhor a caminhar apressadamente, cruzar-me com o senhor da escola de condução e no exacto momento que entrava na vila da Amareleja passava pela carrinha do pão. Durante 3 meses a ter estes "dejá vus" e nem por um momento me fartei.
Já tenho saudades.