02 março 2014

Carnaval? Não, obrigado.

Estamos outra vez naquela época festiva à qual não acho a mínima piada. O pessoal que já é foleiro o ano inteiro, nas ditas "noites foleiras" dos bares, decidem rebentar com a escala!! Uma pessoa nem sabe para onde se virar, escava até ao núcleo da terra à procura da graça! Em duas noites já vi de tudo. Uns aproveitam esta época para se desmascararem (se é que me entendem), outros vão com máscaras de propósito para apalpar todos os rabos da festa (para compensar todas as vezes que levaram tampas no ano inteiro), no final da noite vão dormir muito felizes e realizados, sem dúvida. 
Ontem, com as minhas amigas, fui apenas com um gorro de ladra e uma arma, pois só dá vontade de nos esconder atrás de uma máscara e disparar em certas pessoas que nós cá sabemos.
Quando era miúda só me mascarava de três coisas: cavaleira, sevilhana e enfermeira. E hoje, monto a cavalo, danço sevilhanas e estou a tirar a licenciatura de enfermagem. Isto sim, é mascarar e sonhar. (E quem se veste de put# e labrega, quererá dizer alguma coisa? É melhor deixar ao critério de cada um.)


2 comentários:

  1. Será o Carnaval o momento da qual muitos vêm como oportunidades de transporem para o exterior o que gostariam de verdadeiramente ser/fazer, mas abdicam temendo o julgamento das pessoas e da sociedade no seu todo? Dá o que pensar...

    ResponderEliminar
  2. É verdade sim Mário, para muitos os dias de Carnaval são aqueles onde se podem/conseguem "despir" e ser quem realmente são!

    ResponderEliminar