13 fevereiro 2014

CHAlgarve

Na segunda-feira passada terminei mais uma etapa do meu curso, até agora já tenho cinco Ensinos Clínicos concluídos (estágios), faltam somente três. Quando comecei esta etapa no Serviço de Nefrologia, senti desde logo muita recetividade e confiança por parte do enfermeiro tutor, que tentou ao máximo integrar-me desde o primeiro momento para fazer as minhas próprias intervenções de enfermagem e prestar cuidados à pessoa doente. A orientação do enfermeiro para o estabelecimento e organização dos cuidados prioritários foi essencial para interiorizar a sequência de ações mais proveitosas em cada situação, com o mínimo desperdício de material e tempo, e sempre com a máxima eficácia. Quanto à equipa multidisciplinar do serviço, senti que estaria ali para poder fazer parte da equipa e que todos os profissionais de saúde estavam abertos à partilha de conhecimentos, reconhecendo-nos como alunos de enfermagem e futuros colegas de profissão. 
A cada dia da minha permanência no Serviço de Nefrologia aumentei o meu gosto por esta área e os cuidados a ela associados. Levo comigo a vontade de um dia mais tarde trabalhar nesta área/serviço, de aumentar os meus conhecimentos e competências específicas de cuidados. Agora que terminei mais uma etapa crucial na minha aprendizagem, posso concluir que as minhas expectativas foram largamente superadas. De uma forma geral, sinto que consegui atingir os objetivos a que me propus ao longo deste Ensino Clínico. É com muita amargura que deixo este serviço pois apesar de ainda ter muito que aprender, evoluir e crescer sinto-me mais perto de ser uma verdadeira e exemplar Enfermeira.
Quando fazemos aquilo que gostamos, o tempo passa tão rápido, parece que foi ontem que terminei o primeiro Ensino Clínico, aqueles nervos miudinhos sentindo-me burra por não perceber nada de nada. Dei a primeira injecção há mais de um ano (coitada da pessoa, doeu-lhe horrores) e hoje já dei dezenas delas sem ninguém se queixar. Confesso, antes de entrar para o curso desmaiava sempre que me tiravam sangue, hoje já tirei mais sangue aos outros do que me tiraram a vida inteira. Quando um utente tem um pedido de colheita de sangue, só rezo para que tenha veias gordinhas, bem visíveis e palpáveis... Enquanto que vocês, raparigas, se deixam cativar pelo sorriso, olhos e voz de um rapaz, eu não, o que me interessa é que ele tenha boas veias! (é macabro?) Pelo menos o meu tem aquelas veias que me deixam a desejar, ainda me há-de deixar tirar-lhe sangue, e deste ano não passa.
A todas as pessoas que cuidei, desejo as rápidas melhoras! A todas as pessoas que perdi, desejo paz eterna longe do sofrimento, às respectivas famílias, um abraço com muita força!

Obrigado e até um dia, Centro Hospitalar do Algarve.


Sem comentários:

Enviar um comentário