18 dezembro 2013

Black is always black

A minha rotina em Faro não passa disto: dormir - hospital, hospital - dormir. Comer? Boa questão. Nas folgas aproveito para adiantar o trabalho final ou ir passear, mas quando acordo já a folga está a terminar. A universidade deixou de ser a minha segunda casa, neste momento vivo num hospital, e que bem que sabe, aquele cheirinho agradável, a correria de um lado para o outro, umas visitas abalam com sorrisos estampados na cara, outras nem por isso; aqueles momentos em que a cadeira me chama para descansar e... um doente decide descompensar e lá vou eu e a restante equipa estabilizar a situação, salvar mais uma vida. E é nestas alturas que relembro o valor deste curso, o valor que tenho e o pouco valor que a maldita cadeira tem. 

E porque o preto será sempre o preto, deixo estas fotografias inspiradoras que vou encontrando ao longo dos dias. Bom resto de semana!





































Sem comentários:

Enviar um comentário